Monthly Archives: Julho 2009

E aqui está o resultado

P1010087

Como podem ver, ficou uma piza alta e muito fofa… para quem gosta desta variedade (e não das de massa fina), é uma óptima alternativa.
Deu uma pizza muito grande. Apesar da altura, tem o tamanho do tabuleiro de forno. Essa fatia que aí se vê enche por completo um prato!
Para compensar, o recheio não é muito abundante. Uma vez esticada a massa, com a ajuda de semola de milho, polvilhei a pizza com um dente de alho finamente picado, muitos orégãos e um fio de azeite. Adicionei um pouco de tomate frito (que trouxe da última ida a Espanha, mas também se pode encontrar em Portugal nos supermercados Froiz), sem cobrir por completo a superfície. Coloquei um tomate fatiado fino, um punhado de azeitonas verdes, descaroçadas e fatiadas, um pouco de chouriço de carne de boa qualidade fatiado muito fino, e como não podia deixar, mozzarella ralada. Só para intensificar o sabor, polvilhei ligeiramente com pimenta.
Foi ao forno a 200º até estar com o aspecto que se pode ver!

Gostei tanto do resultado desta massa, que já estou a fazer uma receita completa para ir fazendo pão durante a semana, já que se pode guardar crua no frigorífico durante 10 dias. Vejam a explicação completa no link que indiquei no post anterior. Só espero que a taça que usei – a maior taça com tampa que tenho! – seja suficiente… a massa cresce tanto que tenho receio que transborde!

Anúncios

pizza… versão artisan bread

Estou a tentar a minha sorte com o afamado artisan bread, cuja receita retirei daqui.

Fiz metade desta receita:
Receita original:
1,5 colher (sopa) de fermento biológico seco
1,5 colher (sopa) de sal grosso
3 chávenas de água
6,5 chávenas de farinha de trigo

Só depois é que li até ao fim e encontrei esta versão, mais simpática do que andar a medir cups, no mesmo sítio…
Receita alterada:
1 colher (sopa) de fermento biológico seco
1 colher (sopa) de sal grosso
700ml de água
1kg de farinha de trigo T65

A massa fica mais mole e pegajosa do que na receita de massa de pizza que costumo usar, mas está a crescer muito bem. Resta provar depois de cozida.

Pizza!

P1000927

Esta foto já foi tirada há um tempinho, mas estava à espera de ser publicada.

Ingredientes:
250g de farinha
170g de água
1 colher de café rasa de sal (5g)
2 colheres de sopa de azeite
1 saqueta de fermento de pão desidratado

Preparação: Misture o ermento e a farinha numa tigela. Juntar os outros ingredientes. Bata 8 minutos à mão ou 6 min. com a batedeira. Forme uma bola e deixe levedar uma hora e meia dentro da tigela coberta com um pano.

A verdade, verdadinha, é que costumo fazer a massa de pizza a olho, amassando à mão… Mas a receita que serviu de aprendizagem a esse olho, é a que se reproduz acima!
Quanto a recheios: viva a pizza que nos permite uma escolha tão ampla.

panna cotta fingida com groselhas

P1010081
P1010082

O fim de semana é altura de visitar pais e sogros… e tudo se conjugou este fim de semana para que fizesse esta sobremesa.

A minha mãe tinha preparado duas doses de panna cotta com frutos vermelhos congelados, que estava uma delícia. Trouxe de casa dela a receita.
Em casa dos sogros, recebi uma bela caixa de groselhas frescas… decidi logo que iria usá-las para a sobremesa, que está neste momento a endurecer no frigorífico.

A receita mãe leva:
1 lata de leite condensado
2 pacotes de nata
3 folhas de gelatina
1 embalagem de frutos vermelhos congelados

a minha versão foi um pouco alterada, para a tornar um pouco menos pecaminosa…
1 lata de leite condensado (magro)
1 pacote de natas
1 iogurte natural
4 folhas de gelatina
300g de groselhas frescas.

Coloquei as folhas de gelatina a hidratar.
Bati as natas em chantili. Adicionei o leite condensado, o iogurte e bati um pouco mais.
Já hidratadas, levei as folhas de gelatina com muito pouca água ao microondas na potência média durante um minuto a derreter.
Juntei a gelatina derretida em fio, ao mesmo tempo que batia, ao preparado anterior.
Verti numa taça de vidro e foi ao frigorífico a endurecer.
Assim que estiver firme, é só cobrir com as groselhas.

Acabo de devorar esse pratinho que se vê aí em cima, e posso confirmar que não fica nada mal, com as minhas alteraçõezinhas para ficar menos «bomba»!!
Bom apetite.

Petit Chef…

É com muito orgulho que comunico que aqui o humilde bloguinho recém-nascido faz agora parte do Petit-Chef (ver link e widget aí ao lado).
Este site reúne posts de vários blogs sobre culinária, que ficam acessíveis a quem os quiser pesquisar, e ainda oferece «as receitas do dia», escolhidas de entre esses blogs.
Obrigada!

Bolo mousse de chocolate

bolo1bolo2

Esta receita foi adaptada de «Os meus sabores»

Ingredientes:
6 ovos,
2oo g de chocolate em barra,
150 g de margarina (usei 100g de manteiga),
200 g de açúcar (usei 150g),
4 colh. sopa se farinha.

Derreter o chocolate com a margarina (usei o microondas em temperatura média: é preciso cuidado para não queimar).
Enquanto estes ingredientes derretem, batem-se as claras em castelo.
Batem-se as gemas com o açúcar até obter um creme fofo, que se adiciona ao chocolate derretido, batendo. Incorpora-se depois as claras em castelo e por fim a farinha.
Leva-se a cozer em forma redonda sem buraco previamente untada e polvilhada, por cerca de 20 minutos a uma temperatura de 180º.
Desenforma-se depois de frio.

Sopa de espinafres «especial»

Em dias frios e chuvosos nada apetece mais do que uma sopa. Fiz uma sopinha com um travo quente, mas muito, muito fácil.

Coloquei numa panela um molho de espinafres lavadinhos e partidos em pedaços, duas cebolas aos quartos e um bom bocado de abóbora cortada aos cubos. Cobre-se com água e tempera-se com sal e azeite. Quando os restantes ingredientes estavam quase cozidos, o segredo: uma colher de chá rasa de noz moscada e uma lata das pequenas de feijão-frade cozido (sem o molho, é claro!). É só deixar ferver mais uns minutos e passar tudinho na varinha mágica. O resultado é um creme macio e aromático, óptimo para este frio e para o nariz tapado com que meio mundo parece andar. Quem não quiser saber de dietas pode pôr um fiozinho de natas no prato.